quarta-feira, 1 de julho de 2009

saudade

minha cidade está menor
- a sua casa está vazia.
a carta que queria te escrever
vai morrer sem ver o dia.

mas as árvores de antes ainda estão lá
- sobre as sombras sem rosto
sobre as vozes que ainda zoam
sobre as coisas que você me ensinou.

as árvores ainda estão lá
sobre nós. sobre os idos.
da minha carta as linhas
vão viver sem ter sentido.

(setembro/2007)

Nenhum comentário:

Postar um comentário