terça-feira, 22 de junho de 2010

à deriva

pequeno barco no asfalto. o que singra é o ontem. cor que já foi. desejo sem porto. lastro sem paz.


* * *

semana de moda

o corpo insuportavelmente ereto.
cínico.
passos fragilmente duros
ao fim de pernas tristes.
peitos estufados (mas que peitos)
para o mundo (mas que mundo?)
e um colorido que podia ser vida,
mas é somente roupa.



papel de parede


raspei a carne até
o coração ficar exposto
para você poder tocar

* * *

a verdade, bicho estranho, se esconde.